4 de dez de 2008

Condenado ao amor



Nessa manhã que chega afagando-me os olhos
Traduze-te em clara luz de infinita beleza
Arrancando-me das lembranças doce...
... Aroma de framboesa

Teus raios atravessam a frágil cerca
Aonde em vão tenta esconder-se um coração
Marcando-me o assoalho da alma
Com listras salteadas escuras e claras

Lembrando-me prisioneiro voluntario
Da prisão do amor ao qual me encontro...
...Condenado

(AlexSimas)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários apenas sobre poesias.